Profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas? Ez.34:2. Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR.

27 de mar de 2009

1793 - William Carey viaja para a Índia


1793 – William Carey viaja para a Índia

Um navio ergueu suas velas contra o vento de abril e desceu o rio Tâmisa, rumo ao Canal da Mancha. Ele se dirigia à Índia, levando William Carey, o ardoroso sapateiro que se tornara pregador, e seu amigo missionário, o Dr. John Thomas.
Os dois homens levantaram fundos, empacotaram sua coisas e se despediram. Agora, o navio seguia pela costa da Inglaterra antes de penetrar em mar aberto. Anos de sonhos, de orações e de preparação pareciam perto de seu cumprimento na vida de Carey.
Porém, o mar encrespado e os perigos da guerra da Inglaterra com a frança colocaram fim às esperanças ambiciosas de Carey: a viagem foi cancelada. Intrépido, Carey – que chamava a si mesmo de ‘lutador”, mas que era na verdade um incansável visionário – marchou por entre um sem-número de oposições e passou por todos os tipos de dificuldades para realizar seu trabalho. Sua infância foi pobre. Seu pai era um tecelão que dava aulas para ajudar a sustentar os cinco filhos. William era o mais velho e aprendeu a ler e escrever com entusiasmo, devorava livros de aventura como Robinson Crusoé e As viagens de Gulliver. Sua saúde nunca foi muito forte, mas ele conseguiu aprender o ofício de sapateiro.
Aos 17 anos, frequentava uma igreja dissidente com um amigo, época em que assumiu um compromisso com Cristo. Deixou a igreja anglicana onde fora criado, provocando a desaprovação de seu pai, e tornou-se cada vez mais ativo aos dissidentes. Ele se casou e começou a pregar nas igrejas. Durante algum tempo, caminhava 12 quilômetros todos os domingos para pregar em uma igreja pobre em uma cidade vizinha. Mergulhou no estudo do Novo Testamento e da língua grega e, de alguma maneira, conseguiu levar três carreiras em paralelo: sapateiro, professor e pastor.
Além da saúde debilitada, havia as dificuldades em família. Um filho morrera ainda bebê. Sua esposa passou por dificuldades, as quais se transformariam em um sequência de problemas mentais. Raramente tinha dinheiro suficiente para alimentação adequada. A despeito de tudo isso, Carey ficou cada vez mais obcecado pela obrigação de os cristãos levarem o evangelho às multidões em outros países.
Nas reuniões de ministros de sua área,Carey defendia a causa de que os cristãos deveriam espalhar o evangelho para as terras distantes. Ele era constantemente contestado. “Se Deus quer salvar os índios”, diziam, “ele vai fazer isso mesmo que não tenha a minha ajuda ou a sua”. Chegou até mesmo a ponto de publicar um tratado chamado investigação sobre a obrigação dos cristãos em empregar meios para a conversão dos pagãos, em que defendia a idéia das missões estrangeiras. Foi um trabalho primoroso, mas que não foi bem compreendido.
Três semanas depois de o tratado ter sido publicado, a Associação dos Ministros convidou Carey para ministrar-lhes uma palestra. Carey usou o texto de Isaías 54:2,3: “Alargue o lugar de sua tenda...” Seu tema era: Espere grandes coisas de Deus, faça grandes coisas para Deus”. Porém, seus ministros permaneceram impassíveis. Conforme a reunião se aproximava do final, Carey desabafou com grande frustração: “Será que mais uma vez não farão nada?”Por que ele não conseguia encontrar outras pessoas dispostas a compartilhar e levar adiante sua visão?
Uma chama, no entanto, fora acesa. Na reunião seguinte, foi formada uma sociedade missionária. O médico cristão John Thomas dispôs-se a servir na Índia, mas ele precisava de um associado. Carey decidiu ir com ele.
A situação parecia absurda. Carey tinha uma esposa grávida e três filhos pequenos. Será que ele conseguiria vencer as pressões físicas de sua própria saúde debilitada? Aquilo, porém, era a realização dos seus sonhos. Carey se dispôs a seguir adiante, apesar de muitos contratempos: após uma rápida incursão para levantar fundos, estes ainda eram escassos; o dr. Thomas estava sendo procurado por credores que não haviam recebido seu dinheiro; sua esposa recusou-se a viajar com ele; e, além de tudo isso, a interrupção da viagem do navio. Esse atraso deu a ele mais tempo para voltar e convencer sua esposa, Dorothy, a acompanhá-lo.
Pouco tempo depois, estavam de partida novamente, chegando em Calcutá em novembro de 1793. Porém, os problemas continuaram: as condições eram horríveis; a saúde deles não estava boa; Thomas continuou a acumular dívidas, e não havia conversões. Seu filho mais jovem morreu, e os dois mais velhos eram muito indisciplinados.
Em 1800, a família Carey se mudou para Serampore, juntando-se a um grupo de missionários dinamarqueses. Ali eles presenciaram a primeira conversão ao cristianismo, devido, em parte, aos esforços do filho mais velho de Carey, Félix, agora cristão. Em pouco tempo, uma igreja foi formada, e uma tradução do Novo Testamento para a língua bengali foi concluída.
Três décadas de sucesso missionário estavam apenas começando. À época de sua morte, em 1834, Carey já havia traduzido a Bíblia para 44 línguas ou dialetos e dera início a diversas escolas. Varias frentes missionárias a e evangelizaram ativamente a índia e os países vizinhos, Birmânia e Butão. Porem, além dessas estatísticas, Carey desenvolveu uma filosofia de missões passível de ser executada e a colocou em prática.
Ele estava muito à frente de seu tempo. Tinha um imenso respeito pela cultura da índia e via a necessidade da criação de uma igreja indiana autóctone. Em vez de utilizar muito tempo condenando o hinduísmo, proclamava a morte e a ressurreição de Cristo.
Embora tenha realizado grandes feitos individuais, Carey também foi uma pessoa que trabalhava de forma magistral em equipe. Com base na sua experiência, ele aprendeu que a equipe de missões é mais forte do que os indivíduos que fazem parte dela. Carey também enfatizou o valor das mulheres com parte dessas equipes.
Às vezes, temos a idéia, equivocada, de que Carey foi o único responsável por colocar a igreja na era das missões, mas, na verdade, ele foi um dos muitos cristãos ocidentais chamados para apoiar o trabalho de missões estrangeiras. Sua voz foi simplesmente uma das mais claras, pois suas palavras foram fundamentadas com sua própria vida.

Nenhum comentário:

Mais Comentados

Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Jo.1:17
Sua visita ao blog casanarocha é motivo de grande alegria. Que Deus abençoe ricamente.